asmr

 

A rotina de cada um de nós está cada vez mais agitada. Tudo tem sido cada vez mais baseado em agendas, horários, despertadores, filas, trânsito. E, no final do dia, apesar de todo o esgotamento que essa infinidade de tarefas acumuladas pode proporcionar, ainda existe muita gente que não consegue pregar os olhos.

 

Relaxar e dormir acabou se tornando artigo de luxo para alguns e, na tentativa de finalmente conseguir desligar, muitos têm recorrido à técnicas curiosas, que tornaram o som de chuva coisa do passado. Uma delas é chamada de ASMR, que vem fazendo muito sucesso na internet. Você conhece?

 

ASMR... O QUÊ?

 

Se nunca ouviu falar de ASMR, não precisa se assustar. Saiba que ainda é algo meio novo, que começou a aparecer em 2009, mas que teve seu boom de uns três anos para cá. Esse fenômeno biológico é caracterizado por uma sensação de formigamento que acontece na cabeça, couro cabeludo, nuca, pernas ou braços em resposta a alguns estímulos visuais e principalmente auditivos. Nos vídeos, quem está representando trata a câmera como se fosse o rosto do espectador, olhando “nos olhos” e falando suavemente.

 

Aliás, os sussurros são a principal característica da ASMR, ou resposta sensorial autônoma do meridiano, tudo é feito com muito cuidado e delicadeza, buscando sensações prazerosas - há quem a chame, inclusive, de orgasmo mental. Fique calmo, não tem nenhuma conotação sexual em nisso.

 

Os vídeos são mais que vozes: alguns abrem embalagens, derramam água, folheiam livros, escovam cabelos, dedilham pentes, passam as unhas sobre alguma superfície, comem perto do microfone fazendo barulho, dão leves batidas em objetos e muitos outros ruídos que, curiosamente, despertam calmaria em algumas pessoas, que chegam até a dormir assistindo a esses vídeos.

 

E não são poucos os que estão se rendendo a essa técnica. A popularidade não para de crescer. Já são quase 14 milhões de vídeos desse tipo no Youtube - o número mais que dobrou no último ano e centenas de novas versões são publicadas a cada hora. A maioria está em canais especializados no assunto, sendo que alguns alcançam números impressionantes aqui e fora do país.

 

Mas, afinal, o que há por trás desses sussurros digitais se tornaram um fenômeno e como essa “massagem cerebral” funciona? Para começar, é importante dizer, antes que você busque testar, que as reações variam de acordo com o indivíduo. As sensações variam de arrepio na espinha, formigamento no couro cabeludo, arrepios, frio na barriga, tranquilidade e até sonolência. Porém, para que esses efeitos sejam sentidos, o seu “desconfiômetro” deve estar desligado, tudo bem? Com um pé atrás, seu cérebro poderá interpretar a situação de forma errada, como uma ameaça, e a sessão de ASMR não funcionará tão bem.

 

Tente se concentrar apenas nos sons, em um lugar calmo e, de preferência, usando fones de ouvido, o que intensifica a experiência e traz um pouco mais de realidade, como se estivessem mesmo falando perto do ouvido, só para você. E é assim que muita gente acaba se apaixonando por vídeos de ASMR.

 

Além da preparação para a sessão, as memórias guardadas em cada um de nós também podem influenciar, pois são diferentes, então o comportamento que irão despertar também será distinto. Estudos estão sendo conduzidos para tentar mostrar que as pessoas com ASMR têm conexões cerebrais diferentes de outras que não possuem, e isso tudo poderia estar ligado até com a personalidade de cada um. Mas, no momento, tudo ainda envolve um pouco de especulação, já que ainda não existem estudos clínicos mais aprofundados que provem benefícios ou os verdadeiros efeitos desse método para nosso corpo. O fato é que ASMR ainda é algo muito recente e segue um caminho um pouco inverso: a descoberta partiu dos internautas, não de cientistas.

 

Por enquanto, não se pode dizer que tenha algum efeito real, estando associado a algum hormônio ou região cerebral, já que pouco se sabe sobre o assunto, impedindo (pelo menos no momento) de ser comparado a outros métodos alternativos, como a meditação. O fato é que cada vez mais pessoas afirmam ter benefícios reais, que explicam o tamanho do sucesso. Essas experiências são compartilhadas, fazendo com que outros que tenham vida corrida, estresse, insônia também procurem saber mais sobre o tema, tendo como objetivo principal adormecer. Sendo essa técnica rápida, gratuita, sem efeitos colaterais, que está ali, na palma da mão, tornou-se quase impossível não cair nas graças dos internautas.


Não sendo uma técnica invasiva, não tem contraindicações e você pode testar sem problema algum para saber qual a sensação que terá. Só que vale um alerta: se você não está dormindo bem, busque a orientação de um profissional. Sono é coisa séria e a sua saúde depende dele para que todo o resto continue em harmonia.